25.2.10 - É melhor não dizer mais nada...

Quando você disser que o Sol gira em torno da Terra, que você fica parado dentro do carro enquanto as árvores do lado de fora estão se movendo, que o núcleo gira em torno dos elétrons, que é possível descer para cima e subir para baixo, que o n° 2 vem antes do um, que o frio pode queimar, e chegar um professor contestando essas verdadesm apenas diga: "Tudo depende do referencial, macarrão".

Enquanto isso em uma aula pacata de física:
Professor: ...é, como por exemplo essas novas televisões de LSD...
*silêncio*
Todos: *começam a rir*
Valentine: DOOOORGAS, MANOO 8DD

Labels:


They are my everything - 9 Comments
12:30 PM


21.2.10 - Cause we Love imagine.

Geralmente, na falta de coisa para fazer, começamos a ter devaneios. O devaneio da vez, foi nada mais, nada menos que um projeto de fic/mangá.
Dêem uma olhada na Idéia.

Rain Academy

O mundo sempre foi cheio de criaturas das sombras as quais humanos normais não conseguem ver: Vampiros, apanhadores de almas, trolls, licantropos, espíritos e muitos outros. Sempre causando um dano grave e prejudicial a raça humana. Desconhecendo os reais motivos das pragas, as pessoas atribuiam os danos à consequencias naturais. Porém, alguns humanos que misteriosamente possuiam a habilidade de vê-los e senti-los, após verem os reais motivos das desgraças, começaram a estudar meios  para eliminá-los. Organizaram-se para lutar contra as criaturas, e essa organização reçebeu o nome de Rain Academy, que procuravam outros humanos com a mesma habilidade de vê-los e treinavam para poderem lutar.
Anos se passaram, e a Rain Academy cresceu, fundando sua sede no alto de uma montanha no meio de um deserto. Humanos de todas as partes chegavam para serem treinados, e assim a academia crescia.
Passando algum tempo, a ciência evolui, e a Rain Academy ganhou um novo inimigo: Laboratórios desenvolviam armas humanas, faziam experimentos químicos com fins mutacionais, e achavam formas de ver e fundir as criaturas das sombras com humanos normais, criando monstros visíveis a todos. A pedido de governos, a R.A. entra em ação, para evitar que o pior aconteça.
Os "alunos" que treinam (e acabam estudando também) na escola se especializam em uma arma a qual usam a todo instante, e também em artes marciais, e coisas que possam ajudar em todo tipo de situação. São divididos em duplas, que seguem missões pelo mundo, cuidando para que a paz seja possível.

Nessa historia, se destacam os seguntes personagens:

Craig Decora:  Craig nasceu com o dom de ver as criaturas das sombras, e quando tinha quatro anos foi levado de sua família. É um rapaz invocado de pavio curto, que gosta de trabalhar sozinho. Usa uma arma de nome "Starlings" que é uma espécie de shuriken* gigante.

Synister Frenzi: Synister, ou Syn como é chamado, foi encontrado no deserto aos arredores da Rain Academy. Tinha poucas memórias na cabeça, e seus olhos eram cobertos por bandagens, mas de alguma forma que nem ele mesmo sabia explicar, conseguia ver. As únicas coisas que sabia, é que não deveria tirar aquelas bandagens e o modo de como manusear uma Onyx (espada de tamanho absurdamente grande). Fora designado para ser parceiro de Craig.

Jill Ambrose: É um garoto de longos cabelos prata, que se preocupa com as pessoas, e tem uma personalidade calma e meiga. Foi encontrado no meio de uma floresta de rochas, completamente sem memória. Nos extensos registros da R.A., nada foi encontrado sobre ele. Desde aí, começou seu treinamento. Usa uma espécie de machado duplo, preso a uma grande corrente.

Ozzy  Wolfran: Esse tecnomaníaco modificou o próprio braço direito para se tornar uma arma atiradora de raios. O braço mecânico também possui força superior, capaz de ajudar em muitas situações. É o parceiro de Jill, até certa parte da história.

Eon Deathstone: Eon era um espírito preso no porão da escola. Depois de um incidente, Ozzy lhe dá uma chance de voltar a vida, e a pedido do mesmo, que queria se especializar na área tecnologica da escola, se torna o novo parceiro de Jill.

Mais detalhes sobre os personagens e a história serão revelados no futuro (creio eu) :D
* na falta de melhores termos

Labels:


They are my everything - 4 Comments
7:12 PM


17.2.10 - Soundtrack

Maldição passada pela Riku (te atóron menina ~)

1. Abra sua lista de música (no ipod, mp3 player, windows media player, etc.);
2. Coloque no modo shuffle/random/aleatório;
3. Aperte play;
4. Para cada pergunta abaixo, escreva o nome da música que esteja tocando;
5. Quando passar para a próxima pergunta, aperte o botão pra avançar pra outra faixa (next);
6. Não minta e não tente parecer legal;

1. Créditos Iniciais: Untouched - The Veronicas (Gostay :~)
2. Tema do seu nascimento: Let's Dance - Vanessa Hudgens (G-zuis cristo, perdoe.)
3. Primeiro dia na escola: Remember the Time - Michael Jackson. (lol :~)
4. Primeira briga: Nach dir kommt nichts - Tokio Hotel (é meio tranquila pra uma briga, mas a letra tem td a ver :~)
5. Primeira decepção amorosa: Blood Brothers - Iron Maiden (ée, até que leva '-')
6. Tema de sua vida escolar: Let's get it Started - Black Eyed Peas (até que tem a ver :~)
7. Tema de sua vida adulta: Onpu no Tegami - Miyavi (lolz :~)
8. Trilha sonora para sua primeira vez: Regret - The GazettE ('-')
9. Trilha sonora para as demais vezes: America's Sweethearts - Fall out boy. (kk, tem cara mesmo)
10. Primeira canção em seu carro: Gunsliger - Avenged Sevenfold (man... isso foi tosco u.ú)
11. Tema de seus flashback: The Silent Place - Cinema Bizarre (lol.)
12. Sua canção de namorados: All Star - Smash mouth  (\o/ até q tem a ver)
13. Música de seu casamento: I dont't Care - Fall out Boy (musica estranha pra casamento '-')
14. Tema do nascimento de seu primeiro filho: Love and Death - Tokio Hotel (MIMIMIM~ coitado do meu filho :~ tem que ser do marido :e)
15. Última música que ouvirá antes de virar gagá: Critical Acclaim - Avenged Sevenfold (faz sentido '-')
16. Música que estará tocando quando morrerá: The Lost Children - Michael Jackson (LOL, faz sentido :~)
17. Música do funeral: Somewere I Belong - Linkin Park (funeral dramático e radical. lol.)
18. Créditos finais: Moon - The GazettE (MTO MEIIIGO *-*)

kk. adorei a brincadeira. mas... como não conheço mta gente no mundo blogueiro, não amaldiçoo ninguém :~ (corre pra um cantinho e chora) Nota-se que, pela variedade de músicas e estilos aí, eu tenho um gosto bem eclético...

kusses ~*

Labels:


They are my everything - 6 Comments
11:40 AM


16.2.10 - 69: A flor da idade.

Caros idosos, que chegarão aos seus 70 anos ou mais que acham que estão completamente inaptos para amar, viver, ser feliz e acham que a vida se resume à passar o dia inteiro fazendo cruzadinhas e caças palavras de revistas, vendo tv, e fazendo bordado.
A vida não acaba por aí! Vocês ainda tem anos de vida para a frente, não seria legal aproveitá-los da melhor forma possível? Fazer um exercício, uma atividade, um trabalho. Tratar seu amor apaixonadamente como recém casados? Está na hora de fazer aquilo que nunca teve coragem de fazer, claro, respeitando os limites impostos por seu corpo. 
Abraçe, beije, se encontre com seus amigos, saia às compras, vá ao cinema, viaje, dançe ao som de sua música preferida...
Diga "eu te amo" todos os dias para quem dorme ao teu lado, e se não há ninguém, procure um novo amor que possa de fazer companhia nos seus últimos anos de vida. Ninguém vive sozinho!
Olhe para trás, e não se arrependa de teus atos, porque eles te formaram o que você é hoje. Tente consertar tudo aquilo que te desagradou no tempo que você tem afrente.
Não deixe que te coloquem para baixo, que te impeçam de fazer alguma coisa que queira. 
A vida, não se termina aos 70. Ela pode estar só começando.
[por via das dúvidas, sempre tenha uma caixinha de Viagra por perto o/]

Labels:


They are my everything - 6 Comments
2:11 PM


15.2.10 - Chronicles Of Life And Death

Não era da minha vontade subir aquele raio de escadaria. Eram degraus, milhares deles. Relutante, começei a subi-los imaginando as possíveis formas de como se assassinar lenta e vagarosamente o ser que resolvera um dia ter a idéia de inventar um intrumento de transporte, na falta de melhores termos, tão desagradável e cansativo. Degráus pintados de branco, em meio ao mais puro nada, tudo branco. Como uma pessoa normal, me perguntei onde estaria. Não poderia ser uma de minhas viagens, pois Manolo havia surrupiado em um ato desesperado meus sacos de cocaína. Se caso eu conseguir sair daqui, devo me lembrar de atirá-lo da janela do ultimo andar de um prédio bem alto, com a desculpa de estar analisando os efeitos gravitacionais terrestres.
Depois de prováveis cinquenta minutos, a aparente tortura chegou ao fim. Meus pulmões e coração pareciam estar criando vida própria, e estavam aspirando avidamente saltar para fora de meu peito. Era uma plataforma ampla. Em um dos cantos, uma singela ovelha sem olhos pastava um tufo de grama que brotava diretamente do concreto. Encarei a figura bizarra por alguns segundos, atordoada, até que me dei conta que além da singela ovelha, havia uma mesa. Atrás da mesa, um homem de cabelos negros perfeitamente penteados para trás, terno de tweed igualmente negro, óculos de grau de armação fina. Digitava incessantemente em uma máquina de escrever.
Me aproximei, cumprimentando-o, e ele ergueu a cabeça, me encarando por alguns segundos e retribuiu o cumprimento. No crachá que usava, pude ler o nome "Pedro". "O que diabos era aquilo?", pensei.
- Não devia mencioná-lo num lugar como esse, sabia?
Arregalei os olhos, perante o "transmimento de pensação" o qual ele havia feito agora. Meus lábios levemente abertos balbuciaram a pergunta que eu mais ansiava perguntar: Onde eu estava?
Talvez, eu não devesse ansiá-la tanto assim. Com sua resposta, descobri que havia partido de uma para a melhor, ou pior, nunca se sabe. A primeira coisa que se passou pela minha confusa cabeça foi o fato que eu deveria ter pagado todos os meus pecados subindo aquele raio de escadaria. Raio de escadaria, raio de escadaria, esse mesmo conjunto de palavras ressoando pelos meus ouvidos não era muito reconfortante.
- Só que... - Pedro disse, olhando para mim muito rígido e sério. - Não te querem no inferno. O diabo acha que depois de algum tempo de convivência, você pode tomar o lugar dele. Como, para o céu não podes ir, terá que voltar para a Terra.
Irra! Comemorei. Mas, como assim? Não sou digna o suficiente nem de ir para o inferno? Se Hitler foi para o inferno, porque diabos, eu não poderia ir também? Será que eu fora uma pessoa tão malvada assim?
- Só que... - as duas palavras foram deixadas novamente pelos lábios finos daquele homem. Amedrontaram-me, caso tenha curiosidade de saber - Seu corpo não está disponível, foi um imenso estrago que você aprontou, então, você tem duas opções: A primeira, é uma senhora solteirona e maluca, que vive com vinte gatos. - Sinceramente, essa opção não era muito cogitativa a mim. Quem sabe a segunda? - E a segunda é de um professor.
Oras, é claro que eu queria a segunda! Eu só precisava ensinar um bando de pentelhos, não?
Enfim, voltei. Nada de festas, nada de bebidas, nada de drogas, nada de gangues unidas para torturar pessoas inocentes na rua. E um corpo de um homem de 47 anos, gordo, solteiro e calvo. Mas, porquê diabos, tinha que ser um homem, e ainda mais nesse estado? Tenho um apetrecho a mais entre as pernas agora, e isso, é realmente muito desagradável! A idéia da senhora amante de gatos me pareceu mais tentadora.
Era o primeiro dia o qual iria lecionar naquele colégio público do ensino médio. Claro que todos ali conheciam o tal professor, mas... Eu não conhecia ninguém. Aquele colégio, quando eu estava em meu outro corpo, era o sonho de consumo: Bagunça por toda parte, professores desinteressados, drogas por todo lado.
Respirei fundo. Iria dar o meu melhor, para eu ter uma chance de ir para o céu. Apesar de tudo, eu não queria ir para o inferno. Então, eu iria me esforçar para, argh, ser uma pessoa boazinha, legal, e prometi que iria ajudar os meus alunos.
Quando cheguei a sala, minha mente se perguntou se eu estava em uma sala da aula, ou em uma cela do carandiru. A segunda alternativa me parecia mais convincente. Se bobear, só faltava os alunos se pendurarem nas hélices do ventilador. No fundo da sala, drogas eram trocadas entre alguns poucos alunos, alunas usando mini-saias jogavam charme para alguns garotos em volta. E todos conversando muito, fazendo suas bagunças. O inferno, naquele momento me pareceu bastante reconfortante, diga-se de passagem.
Joguei meus livros sobre a mesa, e começei a minha aula. Ou tentei. A cada segundo que se passava, eu me arrependia amargamente de toda bagunça que eu havia feito na sala de aula, atormentando o meu pobre professor de matemática. Com certeza, eu não devia estar nas minhas melhores condições, para estar se arrependendo disso, mas, quando você tem a visão de uma pessoa decente, vê como é repudiante tais atos de displicência. E com os dias que fui passando naquele corpo, sentia cada vez mais ódio da minha antiga pessoa, por ser tão deturpada, malvada, egoísta e sem consideração. Trabalhei, duro, tentando ajudar quem queria uma carreira promissora, e não tinha mais esperanças. Consegui fazer os alunos se interessarem pelas aulas, usando um método interessante de estudar. Fui uma boa pessoa.
Tudo isso, estragado no meio da rua, quando um adolescente drogado, provavelmente sáido de uma festa qualquer, tentou me assaltar. Como não tinha nada, ele acabou me esfaqueando, fazendo com que novamente, eu fosse subir aquele raio de escadaria.
Eu tinha meu "corpo" de volta. Uma adolescente de dezesseis anos que teve que subir nada mais do que alguns vinte degraus para se encontrar com Pedro novamente. Só não esperava o sorriso que ele me deu, quando cheguei a tal plataforma, com aquela ovelha defeituosa capinando. Eu me arrependera de todos os meus atos, e poderia entrar no céu.
Atrás da mesa a qual Pedro se sentava, um portão dourado surgiu. Eu já estava prestes a conheçer o paraíso. Até que uma pontada nas costelas me fez "voltar a vida". Manolo me "cutucara" sem a menor delicadeza, fazendo-me acordar. Então o desgraçado não havia levado todos os meus pacotes de cocaína afinal! Mas, acho que depois dessa experiência bizarra, não seria mais de meu agrado usá-las de novo. Um corpo de um professor de 47 anos pode estar me esperando...

Para: Blorkutando

Labels:


They are my everything - 2 Comments
2:40 PM


14.2.10 - We will die here.

Não sei porquê eu criei aqui. Bem, vai ser mais ou menos o que eu fazia no Miyuuki. Ah, sei lá, não cansei do Bbirthday, mas é que eu queria uma coisa mais informal. Porquê, geralmente entre os domínios .com tem aquela disputa de: Quem faz o melhor theme no wordpress, quem coloca melhor os plug-ins, quem tem os melhores goodies. É que nem um mercado competitivo, e, para mim tanto o estilo do blog, quanto os posts, quanto tudo não era... como pode-se dizer, digno de um endereço .com. Não que eu não dê conta de fazer, só acho desnecessário. Então, devido a isso, apresento a vocês o Strange Performed.
E creio que vou ficar muito mais tranquila aqui.

É isso.

Labels:


They are my everything - 0 Comments
12:42 AM


They call me hell

Home - Hate me?

Está perdido e não pode ser encontrado ' Girando de um lado pro outro ' Que seja ' Batendo em mim, batendo, batendo em mim ' Me derrubando no chão ' Gritando tão alto ' Estão me sufocando, eles não vão embora ...



The Exorcist

Jack Valentine, 16... Desinteressada, teimosa, preguiçosa, intolerante, impaciente, Psicopata. ♥ Shonen, Rock, Avenged Sevenfold, KH Reborn, Kuroshitsuji, Devil May Cry, ler, desenhar, escrever, chocolate, Anime, música. (hates) Gente chata, implicante, malcriada, mal comida, playboys, frescas, posers. Eu sou eu, você é você, nós somos nozes... Quando a gente for amendoim eu te aviso! É só isso.

Loves



Tati, Henrique ♥, Naoko, Obama, Alien, Cats, Beca, Riku, Nany, Eduarda, Gabriela, Naru, Cah, Land, Liz

It doesn't bite...

 Adotado no Maçã Envenenada
Nome: Bizigozuio
Adotado em: 04/05/10

Timcampy Memories

February 2010
March 2010
April 2010
May 2010
December 2010

Credits

Designer - LiTtL3 aH mA
Brushes - x
Hoster - Photobucket
Softwares - Photoshop CS3